Vasectomia

Informações do Município de São Paulo

A Vasectomia é um método de esterilização cirúrgica do homem e outras pessoas com pênis e consiste em realizar um corte em um canal chamado deferente, que transporta os espermatozóides do testículo para uma região chamada de vesícula seminal. Da vesícula seminal, os espermatozóides se deslocam para a uretra, saindo pelo pênis, onde ocorre a ejaculação.

A vasectomia é  um procedimento simples, rápido e seguro, que pode ser realizado de maneira ambulatorial, com anestesia local.

Esse método deve ser considerado, assim como a laqueadura, um método contraceptivo irreversível, já que as chances de reversão são muito baixas e a cirurgia de reversão não é oferecida pelo SUS.

Muitos homens deixam de fazer laqueadura por acreditar em mitos acerca desse método, envoltos em uma crença machista de “perda de virilidade”, por terem em seus imaginários a compreensão de que um homem que não é fértil é menos viril, por acreditarem que a vasectomia impactará seu desempenho sexual, mas também e em especial por uma cultura que relega a responsabilidade da contracepção à mulher.

É importante desfazer esses mitos e comprometer os homens no compromisso com planejamento reprodutivo.

Algumas pesquisas qualitativas sugerem que os homens optam pela vasectomia como última opção, após suas companheiras terem tentado diversos métodos, ou, ainda, quando há problemas de saúde de suas companheiras e quando têm certeza sobre não quererem mais filhos.

Nesse sentido é importante trabalhar para desmistificar métodos, conhecendo vantagens, desvantagens, contra indicações verdadeiras e mitos:

Vantagens

  • Método cirúrgico que pode ser realizado ambulatorialmente sem necessidade de anestesia geral ou raqui
  • Eficácia: método mais eficaz que a laqueadura, com porcentagem de falha de 0,15 em 1000 homens. 
  • Não precisa de preocupar mais com contracepção 
  • No caso de um casal heterossexual: protege a saúde da mulher de efeitos adversos de outros métodos
  • Não interfere no desempenho sexual: mantém ejaculação e capacidade de ereção. Inclusive, há relatos de melhora do desempenho sexual, por diminuir o estresse relativo ao medo de uma gravidez não desejada.
  • Não precisa lembrar a cada relação

Desvantagens

  • Não previne contra ISTs
  • Necessidade de realizar um espermograma entre 1 e 2 meses após o procedimento para verificar a efetividade do procedimento
  • Depende de um médico para a realização do procedimento

Todos os métodos contraceptivos devem ser escolhidos diante de critério de elegibilidade, e sempre pensando em se evitar ao máximo uma gestação indesejada. De acordo com a OMS, recomenda-se fazer a escolha a partir dos seguintes critérios?

Contraindicações verdadeiras

  1. Câncer de Mama Atual (4)
  2. Cefaléia com aura (dor de cabeça com alterações sensoriais que precedem a enxaqueca) (3)
  3. Sangramento genital inexplicável (3)
  4. Trombose Venosa Profunda atual (3)
  5. Doença cardíaca Isquêmica (3)
  6. Hepatite Aguda Viral (3)
  7. Cirrose e tumores Hepáticos (3)
  8. Medicamentos que afetam enzimas hepáticas ( Ex. Rifampicina - usado na tuberculose) (3)
  9. Uso de Anticonvulsivantes (3) (específicamente: fenitoína, carbamazepina, barbitúricos, primidona, topiramato e oxcarbazepina)
  10. Pós parto de menos de 6 semanas e em período de amamentação (3) 

obs.: se não estiver amamentando pode ser usado após o parto

Total de
procedimentos

No período analisado, 2019 a 2023, foram identificadas 28.323 notificações do procedimento de vasectomia no município de São Paulo, sendo que 2.500 (8,8%)  foram notificados no Sistema de Informação Ambulatorial (SIA) e 25.823 (91,2%) no Sistema de Informação Hospitalar (SIH).

No Gráfico 1 podemos a distribuição anual de procedimentos por Sistema de Informação onde foi notificado. 

Gráfico 1.Número de vasectomias anual por sistema de informação de notificação

Número total de inserções de implantes hormonais
São Paulo, 2019-2023

Fonte: SIA, 2019-2023
Gráfico 1. Número total de inserções de Implanon registrados no Sistema de
Informação Ambulatorial (SIA) 
por ano no município de São Paulo
Número total de inserções de implantes hormonais por faixa etária
São Paulo, 2019-2023
Fonte: SIA, 2019-2023
Gráfico 2. Número total de inserções de implantes hormonais registrados no Sistema de Informação Ambulatorial (SIA)  por faixa etária da paciente no município de São Paulo

Implante hormonal por faixa etária

A maioria (51,8%) das inserções do implante subdérmico de etonogestrel no período analisado ocorreu em pessoas com idade entre 20 e 29 anos, totalizando 4.052 inserções. As faixas etárias de 30 a 39 anos e 40 a 49 anos representaram respectivamente 1.922 (24,5%) e 541 (6,9%) inserções. As inserções em pessoas de 15 a 19 anos totalizaram 1.320, correspondendo a cerca de 16,8% do total.

Implante hormonal
por RAÇA/COR

  • Branca: Com um total de 3.196 procedimentos, representa aproximadamente 40,8% do total, sendo o grupo que mais recebeu o dispositivo.
  • Parda: Representando 3.058 inserções, ou cerca de 39% do total, esta categoria também se destaca como uma porcentagem substancial do acesso ao implante.
  • Preta: Com 792 inserções, representa cerca de 10,1% do total, indicando, apesar de uma presença significativa, quantidade expressivamente menor que as categorias Branca e Parda.
  • Amarela: Com 479 inserções, compreende cerca de 6,1% do total, também representando uma proporção considerável, embora menor que as categorias Branca e Parda.
  • Indígena: Apresentando apenas 5 inserções, equivale a uma porcentagem muito baixa do total, praticamente insignificante em comparação com as outras categorias. Isso pode indicar uma escassez de dados ou uma representação muito pequena dessa população no conjunto de dados.
  • Sem Informação: Com 305 inserções, compõe aproximadamente 3,9% do total, mostrando uma presença significativa, embora a categorização desses casos não esteja disponível para análise racial/cor (cor cinza no gráfico).

Número total de inserções de
implante hormonal por raça/cor
São Paulo, 2019-2023

Fonte: SIA, 2023
Gráfico 3. Número total de inserções de Implanon registrados no Sistema de Informação Ambulatorial (SIA)  por raça/cor da paciente no município de São Paulo

Gênero: Não foram disponibilizadas informações a respeito do uso do método por pessoas transmasculinas e não binárias.

Informações sobre Implante Hormonal por subprefeitura

Um estudo realizado em 2010 (FIGUEIREDO et al, 2014) constatou que, à época, apenas 64% das UBSs no Município de São Paulo realizavam o procedimento de colocação de DIU. Na análise dos dados coletados pelo Mapa de Justiça Reprodutiva, de 2019 a 2023, essa porcentagem subiu para 81%, ou seja, das 479 UBSs da cidade de São Paulo, 392 delas inseriram DIUs.

Porém, entendemos que o dado relevante a saber é: qual a quantidade de DIUs inseridos em relação à população em idade fértil referenciada a cada UBS, em especial por meio de uma análise a partir das interseccionalidades (raça/cor, faixa etária e gênero)?

Abaixo, você poderá consultar no Mapa a quantidade de DIUs inseridos por subprefeitura, com as subdivisões de raça/cor e faixa etária. 

As subprefeituras que mais inseriram IMPLANTE na cidade de São Paulo, entre os anos de 2022 e 2023, com taxa média de aproximadamente 120 inserções a cada 10.000 mulheres em idade fértil nesse ano, são as listadas abaixo: 

1º lugar- Subprefeitura CIDADE TIRADENTES  com o total de 1035 procedimentos 

2º lugar- Subprefeitura ITAIM PAULISTA com o total de 923 procedimentos

3º lugar- Subprefeitura SÃO MIGUEL com o total de 903 procedimentos

4º lugar- Subprefeitura GUAIANASES com o total de 693 procedimentos

5º lugar- Subprefeitura BUTANTÃ com o total de 665 procedimentos.

 

As subprefeituras que menos inseriram IMPLANTE na cidade de São Paulo, entre os anos de 2022 e 2023, com taxa média de aproximadamente 120 inserções a cada 10.000 mulheres em idade fértil nesse ano, são as listadas abaixo: 

1º lugar- Subprefeitura PINHEIROS com o total de 1 procedimento

2º lugar- Subprefeitura M BOI MIRIM com o total de 2 procedimentos

3º lugar- Subprefeitura PIRITUBA/JARAGUÁ com o total de 5 procedimentos

4º lugar- Subprefeitura SANTO AMARO com o total de 32 procedimentos

5º lugar- Subprefeitura ARICANDUVA/FORMOSA/CARRÃO com o total de 40 procedimentos

Como podemos interpretar esses dados?

Diferente do DIU, que é majoritariamente inserido nas instituições hospitalares ou centros especializados na atenção secundária,  o Implante é acessado em sua quase totalidade (98,7%) na atenção primária, ou seja, nas Unidades Básicas de Saúde (UBS). 

As UBS que mais colocaram implantes, em números absolutos, no período de 2022 a 2023, foram:

1º lugar- UBS ENCOSTA NORTE (subprefeitura Itaim Paulista) com o total de 452 inserções no período de 2022 e 2023.

2º lugar- UBS V SANTANA (Subprefeitura Itaquera) com 329 inserções no período de 2022 e 2023.

3º lugar- UBS J SOARES (Subprefeitura Guaianases) com o total de 313 inserções no período de 2022 e 2023.

Ainda que os números totais de inserção dos implantes sejam muito menores do que os números de inserção de DIU na cidade de São Paulo, o fato de serem mais acessados nas UBS conduz a algumas hipóteses:

  • A facilidade de inserção do implante e relação ao DIU poderia encorajar que mais profissionais realizem o procedimento;
  • O implante pode ser um método que sofre menos preconceitos que o DIU, que erroneamente é considerado abortivo por alguns profissionais e instituições de saúde;
  • A política de direcionar o método a grupos específicos (ver categorias no início da sessão) pode desburocratizar o método ou então torná-lo compulsório para essas pessoas, que poderiam sofrer pressão da equipe de saúde para sua inserção. 

Em relação à última hipótese, nos parece relevante destacar que o implante deveria estar disponível para toda a população e não apenas para os grupos prioritários, inclusive porque a determinação desses grupos pode produzir, na prática dos profissionais de saúde, uma confusão entre a efetiva escolha contraceptiva e uma imposição compulsória sobre a reprodução das pessoas dos grupos determinados pela lei. 

Ressalte-se que o Brasil tem uma longa história de racismo ginecológico, que repercute, dentre outras facetas, na coação de mulheres, em especial negras e pobres, a realizarem procedimentos de alta eficácia, como laqueadura (e, como vimos, o implante). Para saber mais, acesse o relatório da  CPI das laqueduras, de 1993, que inspirou a edição da Lei de Planejamento Reprodutivo (Lei nº 9.263/1996).  

Políticas para melhorar esse acesso, como a capacitação de mais profissionais (de medicina e de enfermagem) e a adoção de uma agenda com acesso avançado, ou seja, que garanta que os atendimentos aconteçam no mesmo dia ou até o dia seguinte, devem ser elaboradas (MURRAY et al, 2000).

Acesse aqui a tabela de dados com os números absolutos de inserção de Implante Hormonal por estabelecimento de saúde cadastrado

Como você pode acessar
o implante hormonal?

Para encontrar a UBS mais próxima de onde você mora e obter informações para colocação de DIU, acesse o Busca Saúde.

No serviço de saúde, podem solicitar que você preencha um Termo de Consentimento Livre e Esclarecido para a colocação. Leia-o atentamente e assine depois. 

Você deverá retornar ao serviço onde colocou para reavaliar o posicionamento cerca de um mês após a inserção, e é dever do estabelecimento disponibilizar uma vaga para o seu retorno. Não há necessidade de realização de ultrassonografia para avaliação rotineira do posicionamento do DIU após a colocação, exceto se houver dúvida após o exame físico realizado por profissional de saúde. Você também poderá sentir o fio e o posicionamento tocando seu colo do útero. 

Caso você enfrente dificuldade no acesso a este método, é possível buscar ajuda! Saiba o que é possível fazer clicando em Denuncie Aqui.

Referências

Critérios Médicos de Elegibilidade para Uso de Métodos Anticoncepcionais. Disponível em: https://iris.who.int/bitstream/handle/10665/173585/9789248549250-por.pdf?sequence=77&isAllowed=y  e https://www.saudedireta.com.br/docsupload/1340375131Portuguese-AppendixD.pdf.Planejamento Familiar: Um Manual Global para Profi ssionais e Serviços de Saúde- Disponível em Critérios de Elegibilidade da OMS - https://www.saudedireta.com.br/docsupload/1340375131Portuguese-AppendixD.pdf

Protocolo do implante subdérmico de etonogestrel para atendimento às mulheres vulneráveis- Prfeitura de São Paulo/ 2023 Disponível em https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/upload/saude/PROTOCOLO_IMPLANTE_SUBDERMICO_ETONOGESTREL_MULHERES_VULNERAVEIS_26_5_2023.pdf

Rede Municipal adquire implantes contraceptivos de longa duração para ampliar gama do Planejamento reprodutivo. Disponível em https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/saude/noticias/?p=211815